O jornal mais antigo em circulação do Agreste Setentrional de Pernambuco

Sábado, 22 de Fevereiro de 2020 10:27

Alan Lucena

Alan Lucena

Datas e Eventos

  • Prefeitos buscam recuperar cajucultura

    Secretário de Agricultura de Surubim José Mariano e os prefeitos Robevan Lima, João Camelo e Ana Célia ouvem explicações do chefe da Estação Experimental, Carlos Bezerra (Foto: Fernando Guerra/ Divulgação)

    Uma comitiva formada por agrônomo, técnicos agrícolas, pequenos produtores rurais e prefeitos de Surubim, Casinhas e Santa Maria do Cambucá, esteve no último dia 9 de novembro em Pacajus, Ceará, estudando formas de recuperar a cajucultura na região. Anteriormente, em julho de 2015, outra comissão com prefeitos regionais, também esteve no Campo Experimental de Pacajus com os mesmos objetivos. Entretanto, todos aqueles projetos resultaram em nada, frustrando uma expectativa de fortalecimento da economia rural nas áreas de solo arenoso existentes no Agreste Setentrional pernambucano.

    Comitiva formada por integrantes de Surubim, Casinhas e Santa Maria do Cambucá que viajou até a cidade de Pacajus/CE (Foto: Reprodução/ Divulgação)

    Enquanto Robevan, o prefeito de Santa Maria do Cambucá fez sua segunda viagem àquele estado, Ana Célia de Surubim e João Camelo de Casinhas participaram pela primeira vez dessa Excursão Técnica. No local, ocuparam-se de intensa programação com aulas teórico-práticas sobre a cultura do cajueiro, abordando os temas “Clones de Cajueiro e Manejo da Cultura”, “Produção de Mudas de Cajueiro” e “Processamento de Castanhas e Pedúnculos de Caju”.

    Dr. Raimundo Nonato faz explanação sobre os clones de cajueiro e manejo da cultura (Foto: Fernando Guerra/Divulgação)

    A prefeita Ana Célia, demonstrou firme propósito de implantar em Surubim, um conjunto de ações capazes de resgatar o cultivo dos cajueiros no município. Essa cultura já teve destaque entre os pequenos produtores em passado recente. No entanto, com o declínio da produtividade dos cajuais parte considerável deles migraram para outras atividades, inclusive vendendo suas propriedades para a retirada de areia para a construção civil.

    Antônio Teixeira demonstra como se faz a enxertia e se propagam as mudas de cajueiro (Foto: Fernando Guerra/Divulgação)

    A proposta para essa retomada, passa inevitavelmente pela introdução de variedades de cajueiros mais produtivos e a adoção de tratos culturais indispensáveis ao sucesso desse empreendimento. Formas de processamento de castanhas e cajus, agregando valor à produção, devem criar as condições necessárias para a plena recuperação da atividade em toda a região.

     

    Marlos Bezerra, chefe adjunto de transferência de tecnologia da Embrapa Agroindústria Tropical, discorre sobre a cultura do cajueiro (Foto: Fernando Guerra/ Divulgação)

    A prefeita já nomeou um grupo para levar adiante esse projeto, tendo à frente o coordenador da Secretaria de Agricultura, Paulo Bandeira com o apoio do IPA que se fez representar nessa viagem pelo agrônomo Bruno Borba. Conforme ficou claro,o primeiro passo a ser dado é a instalação de um jardim clonal que permitirá a produção de mudas de cajueiros no município.

     

    Valter Borges, cuja capacidade de articulação tem se notabilizado, foi o autor desse entendimento entre os prefeitos e a EMBRAPA,  resultando nessa viagem que pode abrir novas perspectivas econômicas para o Agreste.

  • Audiência pública debate fechamento do Banco do Brasil em Frei Miguelinho

    Agência pode ter atividades encerradas até o final deste ano (Foto: Reprodução/Divulgação/ Ailton Aniceto)

    Nesta terça-feira (14), às 9h, será realizada na Câmara de Vereadores de Frei Miguelinho, uma audiência pública para debater o possível fechamento da agência do Banco do Brasil na cidade. Foram convidados para a reunião, a prefeita do município Adriana Assunção (PSB), vereadores, secretários municipais, deputados, senadores, representantes do Sindicato dos Bancários, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da sociedade civil, do Poder Judiciário, do Ministério Público Estadual (MPPE) e da imprensa da região. A intenção é elaborar um plano de incentivos para evitar o encerramento das atividades da agência.

    A audiência foi proposta pelo presidente da Câmara de Frei Miguelinho Aniceto Lima (PRP), que está coordenando o movimento para impedir que a agência – a única no  município – seja fechada. Ele esteve em Brasília (DF) esta semana onde tratou do assunto com vários políticos de Pernambuco, entre eles, o senador Armando Monteiro (PTB). A mobilização já conseguiu coletar 10 mil assinaturas em um abaixo-assinado contra o encerramento das atividades da agencia.

    O Banco do Brasil em Frei Miguelinho teve os caixas eletrônicos explodidos por bandidos há cerca de um ano. Depois de reformada, a unidade foi reaberta mas sem trabalhar com dinheiro. O estabelecimento está na lista de 11 agências que podem ser fechadas no estado ate o final deste ano.

  • Surubim terá um dia a mais com abastecimento em novembro; veja o calendário para sete cidades da região

    O calendário de abastecimento divulgado pela Companhia de Saneamento de Pernambuco (Compesa) prevê um dia a mais com água nas torneiras para os surubinenses. Em outubro, foram nove dias, a maioria deles com problemas na adutora, que prejudicaram o abastecimento na cidade, gerando um grande número de reclamações dos usuários.

    “Devido ao acréscimo de mais um dia, voltando a ser do dia 16 a 26 de cada mês, algumas localidades voltaram a ser abastecidas, porém, o tempo de abastecimento é curto e pode ser que parte de setores não seja bem atendida, principalmente as partes mais altas”, afirma o coordenador regional da Compesa em Surubim, Edvaldo Lemos.

    Agora com o calendário de 10 dias, localidades que ficaram sem abastecimento no mês anterior voltam a ter água nas residências. São elas: Lagoa do Choro, Loteamentos Solon de Melo, São Francisco e Maracajá, Doquinhas, Lagoa Nova e Diogo. Em Casinhas, a localidade de Junco, que estava em colapso, também terá o abastecimento retomado, segundo a companhia.

    Clique aqui e confira o calendário para Surubim e outras seis cidades da região (Frei Miguelinho, Santa Maria do Cambucá, Vertente do Lério, Casinhas, Bom Jardim e João Alfredo).

     

  • Escritor faz doação do livro Memória das Vaquejadas de Surubim a bibliotecas

    Fernando Guerra ao lado de professores da rede municipal de ensino, durante a entrega do livro Memória das Vaquejadas de Surubim (Foto: Reprodução/ Divulgação)

    Durante o “Dia de Formação Continuada”, encontro de professores da rede pública do município, realizado na Escola Oliveiros Vasconcelos, no dia 1º de novembro, o escritor Fernando Guerra distribuiu exemplares do livro Memória das Vaquejadas de Surubim para todas as bibliotecas escolares ligadas à administração municipal,  assim como para a Biblioteca Pública da cidade.

    Conforme salientou o autor desse livro que resgata a história das vaquejadas surubinenses, cada biblioteca de instituições públicas ou privadas do município deve receber esse livro, desde que manifeste o interesse através de carta ou ofício endereçado ao autor ou mesmo solicitação encaminhada ao e-mail deste periódico (correiodoagrestesurubim@hotmail.com). O contato também pode ser feito no seguinte endereço: Rua Maria Barbosa, N.º 49, Centro. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: (81) 9-9207-6876.

  • Coren-PE interdita quatro setores do Hospital São Luiz; direção diz que atendimento não será interrompido

    Interdição não afeta setor de emergência da unidade de saúde (Foto: Reprodução/ Google Imagens)

    O Conselho Regional de Enfermagem (Coren-PE) realizou a interdição ética dos profissionais de enfermagem dos setores de clínica médica, clínica cirúrgica, maternidade e pavilhão de pacientes crônicos Nossa Senhora de Fátima, no Hospital São Luiz, em Surubim. A interdição aconteceu na manhã desta terça-feira (31), devido à ausência de enfermeiros. Cada setor deveria funcionar com um profissional exclusivo, no entanto, apenas um enfermeiro é responsável por todas as áreas.

    Em todos os setores foi verificada a ausência do enfermeiro durante seu horário de funcionamento. O Coren-PE informou que fica assegurada a assistência aos pacientes que já estiverem internados até o momento da interdição, bem como casos de emergência.

    Para a presidente, a enfermeira Marcleide cavalcanti, a ausência de enfermeiros nesses quatro setores provoca além de uma assistência à saúde precária, a inviabilidade da atuação dos técnicos de enfermagem – que só podem atuar sob a supervisão do enfermeiro. Ela disse que o hospital vem sendo notificado desde julho de 2015 e a interdição, é o último recurso.

    A presidente do Coren-PE disse ainda, que é dever do conselho preservar os técnicos de enfermagem de uma atuação sem supervisão e, desta forma, oferecer uma assistência de qualidade para população, livre de erros e imperícia que poderiam ocorrer devido à ausência de enfermeiro.

    Por telefone, o diretor da unidade, o médico Gildo Ferreira Lima afirmou que já está buscando uma solução com o Coren-PE e que o atendimento à população não será prejudicado. “Apenas cirurgias eletivas, aquelas que são marcadas com antecedência devem ser adiadas. Os trabalhos na urgência e emergência, como a própria nota do Coren-PE diz, continuam normais.”

    O diretor também declarou que o principal problema é financeiro e que 43 hospitais do Estado enfrentam a mesma dificuldade.”Não é uma questão isolada. Temos discutido o assunto com a direção de outros hospitais, mas o nosso departamento jurídico está mantendo reuniões com o Coren-PE para resolver a situação. Estamos em contato com o Conselho e acredito que até a próxima terça-feira chegaremos a uma solução”, finaliza.

    Com informações da Assessoria de Imprensa do Coren-PE

  • Fórum socioambiental discute implantação de aterro sanitário

    Prefeita Ana Célia (ao lado do banner) e o secretário Carlos Maurício (último à direita) recepcionaram os participantes (Foto: Alian Aragão/ Prefeitura de Surubim)

    Com o objetivo de estabelecer no município de Surubim um aterro sanitário, substituindo o lixão para onde se destinam hoje os resíduos sólidos municipais, a Prefeitura de Surubim através da Secretaria de Infraestrutura e Controle Urbano, promoveu o I Fórum Socioambiental no último dia de outubro.

    O encontro realizado no auditório do Reserve Hotel contou em sua abertura com as presenças da prefeita Ana Célia e do secretário Carlos Maurício Guerra que deram as boas vindas aos presentes. Em seguida, o coordenador de projetos da NE Construções, Abelardo Ribeiro, empresa responsável pela elaboração e implantação do projeto, a presidente da CDL Roberta Aguiar Queiroz, os promotores de justiça André Barbosa de Menezes e Garibaldi Cavalcanti, discorreram sobre a importância do aterro sanitário. Falaram sobre a necessidade de se consolidarem parcerias entre todos os segmentos da comunidade para que fosse possível atingir plenamente os objetivos propostos.

    Conforme ressaltou Abelardo Ribeiro o lixo tem em sua composição cerca de 30% de material reciclável e 60% de matéria orgânica que poderia ser transformada em adubo destinado à agricultura. Trata-se, portanto de um grande desperdício a não utilização racional e seletiva do lixo que é descartado a céu aberto nos conhecidos lixões.

    Uma mesa redonda aprofundou essas questões abordando Políticas Públicas na Gestão de Resíduos Sólidos para a Administração Municipal. Foram debatedores, o Promotor de Justiça e Coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Defesa do Meio Ambiente, o Dr. André Felipe Barbosa Menezes; a Gestora de Educação Ambiental e Agenda 21 da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Genilse  Gonçalves e o Gerente da Unidade de Controle e Esgotamento Sanitário- CPRH.

    Trata-se de um grande desafio para a gestão de Ana Célia a concretização do aterro sanitário em Surubim, projeto que já vinha há algumas gestões municipais sendo adiado.

     

  • Exposição de Animais de Surubim não será realizada este ano

    Exposição não acontecerá em 2017 por falta de animais para participar do evento (Foto: Reprodução/ Blog Negócios & Informes)

    Interrompendo um ciclo reiniciado em 2007, este ano não será realizada a Exposição de Animais de Surubim. A informação já foi divulgada oficialmente pelo presidente da Sociedade dos Criadores de Surubim (SCS), Joseildo Xavier, que alega a falta de gado para a promoção do evento. “Viemos de uma seca de cinco anos e não temos animais para realizar a exposição. Vamos nos preparar para fazer um bom evento em 2018”, afirma.

    A exposição, tradicionalmente acontece em agosto, mas este ano, no final daquele mês, o então presidente da SCS, José Mariano Filho, mais conhecido por “Xoxô”, atual secretário de Agricultura, Indústria e Comércio do município, estava encerrando o seu mandato e anunciou que a mostra seria adiada para novembro, ocorrendo entre os dias 16 e 20. O motivo da mudança de data, foi o mesmo apresentado agora: a falta de animais.

    Presidente da SCS, Josenildo Xavier: impacto provocado pela seca prejudicou o evento (Foto: Fernando Guerra)

    Na verdade, a principal causa da ausência de gado para realizar a exposição, é o fato da maioria dos integrantes da SCS, ter abandonado a atividade pecuária, sobretudo pelas dificuldades impostas pelo severo e longo período de estiagem. Conta-se nos dedos de uma mão, quantos diretores da entidade continuaram criando.

    O cancelamento do evento, além de quebrar uma sequência de  mais de uma década de exposições que foi retomada a duras penas após 17 anos de paralisações e sucateamento do Parque Senador Antônio Farias, traz enormes prejuízos à economia do município. Uma cadeia formada por pessoas que negociam com animais, barraqueiros, comerciantes, expositores de produtos agrícolas, artistas locais, enfim, a população como um todo fica prejudicada.

    A Exposição de Animais de Surubim, completou em 2016, 41 edições, é uma das mais antigas do Estado. Na época áurea, foi considerada a segunda mais importante de Pernambuco, ficando atrás apenas da realizada no Parque de Exposição de Animais do Cordeiro, em Recife.