O jornal mais antigo em circulação do Agreste Setentrional de Pernambuco

Segunda-Feira, 27 de Setembro de 2021 02:00

Morre em Surubim, aos 85 anos, o jornalista Valdemir Alves de Moura

20/08/2021

Valdemir foi nas décadas de 1950 e 60, o correspondente do Diário de Pernambuco projetando Surubim no cenário estadual (Foto: Edvaldo Clemente/ Divulgação)

Na manhã da terça feira 17 de agosto, aos 85 anos, faleceu no Hospital São Luiz em Surubim, o jornalista Valdemir Alves de Moura por falência múltipla dos órgãos. Embora residente em Brasília encontrava-se na cidade com sua esposa Eunice Moura tratando de negócios da família e teve que adiar seu retorno à capital federal em decorrência de seu estado de saúde. Seu corpo foi sepultado no cemitério São José no dia seguinte, acompanhado por familiares e amigos.

Nasceu em Lagoa de João Carlos, município de Frei Miguelinho no dia 12 de agosto de 1936, mas se mudou para Surubim, após seu pai Manuel Alves de Moura ter montado na cidade em 1949 um próspero negócio como atacadista e varejista, na esquina entre as ruas 7 de Setembro e a 15 de Novembro. Cursou o primário no Colégio N.S. do Amparo e adotou Surubim como sua nova terra. Foi nas décadas de 1950 e 60, o correspondente do Diário de Pernambuco projetando o município no cenário estadual. Conforme depoimento seu registrado no portal Minha Rua Tem Memória, escreveu mais de 300 artigos abordando os fatos mais importantes da vida política, cultural e econômica do município. 

Mudou-se para Recife onde fez a Faculdade de Economia e vinculou-se à SUDENE na fase áurea dessa instituição nos anos 60 e 70. No entanto nunca deixou de participar dos movimentos políticos de sua nova terra, tendo inclusive tentado voos mais altos ao candidatar-se a vereador e posteriormente a deputado estadual, sem, contudo, obter êxito. Mesmo residindo em outras cidades como São Paulo e ultimamente em Brasília, sempre retornou a Surubim onde residiam os pais de sua esposa Eunice. Ela é filha do primeiro farmacêutico de toda a região Joaquim Souto Maior e de Aurélia Cavalcanti Souto Maior, conhecida como Dona Dó cuja longevidade foi notável, pois atravessou mais de um século de existência. 

Valdemir e a esposa Eunice, exibem o título de Cidadão Surubinense ao amigo do casal, Edvaldo Clemente (Foto: Edvaldo Clemente/ Divulgação)

Valdemir teve sua importância para Surubim reconhecida pelo vereador Flávio Guerra ao conceder-lhe o título de cidadão surubinense que lhe foi entregue no dia 17 de março de 2015, deixa viúva Eunice e três dos quatro filhos que tiveram, todos residentes em Brasília.  

 

Relacionado

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *