O jornal mais antigo em circulação do Agreste Setentrional de Pernambuco

Sábado, 15 de Dezembro de 2018 11:24

Auxiliar administrativo assassinado em escola do Recife será sepultado neste sábado (22) em Surubim

21/09/2018

Marcelo Arruda trabalhou em várias escolas da rede estadual de ensino em Surubim (Foto: Reprodução/ Facebook)

Da Redação, com informações do G1/PE (Pedro Alves) e da Folha de Pernambuco

O auxiliar administrativo Marcelo José de Arruda, de 60 anos, assassinado com dois golpes de faca no pescoço, dentro da Escola Delmiro Gouveia, no bairro do Pina, zona Sul do Recife, será sepultado na tarde deste sábado (22), no Cemitério São José,  em Surubim. O velório está previsto para ter início durante a manhã do mesmo dia, tão logo o corpo seja liberado do Instituto de Medicina Legal (IML), em Recife.

Marcelo trabalhou em várias escolas da rede estadual de ensino em Surubim e era filho do casal Mazinha e Zé Porfírio (já falecidos) que por muitos anos foram proprietários de uma funerária na Rua 15 de Novembro, no Centro da cidade. O féretro será velado na Casa Mortuária São José, de Zé Bezerra, de onde sairá às 17h para o sepultamento. Antes de morar em Recife, ele residia na Rua Mário Estanislau, no bairro São Sebastião. Marcelo era solteiro e não tinha filhos. Os parentes mais próximos são dois irmãos.

Crime

O auxiliar administrativo foi assassinado nesta sexta-feira (21), no início da tarde. A Polícia Militar enviou uma equipe para o local, após receber o chamado para o caso por volta das 13h.

No momento do assassinato, a escola já havia encerrado o expediente de aulas, segundo as polícias Militar e Civil. Peritos do Instituto de Criminalística recolheram objetos que podem ajudar nas investigações do crime, como o celular da vítima, que não foi levado pelos autores do crime. O corpo foi recolhido do local por volta das 15h40.

Segundo o delegado Elder Tavares, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o crime ocorreu dentro de uma das salas da diretoria escolar e o corpo foi encontrado por uma funcionária da escola. Ele acredita que ainda é cedo para apontar uma linha de investigação.

“Funcionários disseram que dois elementos chegaram dizendo que iam resolver assuntos de documentação. Lá dentro, disseram que seria sobre transferência escolar, mas logo anunciaram um assalto e desferiram duas facadas contra a vítima. Eles chegaram a pé e fugiram correndo, mas não levaram nada”, disse o delegado.

Uma moradora da área, que não quis se identificar, afirmou que a vítima era natural de Surubim e era uma pessoa tranquila e conhecida na região da escola.

“Todo mundo está aterrorizado. Foi uma surpresa, porque ele é extremamente tranquilo. Ninguém sabe o motivo do assassinato, só sabem que dois rapazes invadiram a escola e deram facadas nele”, contou a mulher.

Crime aconteceu na Escola Delmiro Gouveia, na Zona Sul do Recife (Foto: Pedro Alves/G1)

De acordo com o comandante do 19º Batalhão da PM, tenente-coronel Paulo Matos, a escola possui câmeras de segurança que poderiam auxiliar nas investigações, mas, por falta de manutenção, os equipamentos não funcionam. Imagens de edifícios próximos à escola vão ser reunidas para subsidiar as buscas pelos criminosos.

“Funcionários disseram que ele morava em Surubim porque cuidava da mãe, que faleceu e, por isso, ele teria vindo para o Recife. Também há rumores de que ele tinha dívidas com agiotas em Surubim e podia ter vindo por causa de dívidas”, disse o comandante. Marcelo trabalhava há seis meses na Escola Delmiro Gouveia. Não se tem informações sobre ameaças.

De acordo com a polícia, os suspeitos do crime são dois jovens, que teriam informado ao porteiro da escola que gostariam de falar com a secretaria sobre uma possível transferência. O porteiro os conduziu até o atendimento e voltou para o posto dele.  Em seguida,  a mulher responsável pela limpeza da escola chegou à portaria correndo desesperada, informando sobre o homicídio.

A mulher, que presenciou o assassinato, foi levada para a delegacia para prestar depoimento na Delegacia de Boa Viagem. O porteiro deu detalhes para a confecção do retrato falado dos suspeitos.

Em nota, a Secretaria de Educação do Estado afirmou que “lamenta o ocorrido na escola e vai acompanhar o andamento das investigações”. A pasta também informou que a Escola Delmiro Gouveia atende 149 estudantes dos anos finais do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano.

Investigação

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que foi instaurado um inquérito para descobrir a autoria e a motivação desse homicídio. “A escola estava funcionando apenas para serviços administrativos, pois as aulas acontecem pela manhã. Segundo levantamento inicial, dois homens informaram na portaria que gostariam de solicitar uma documentação para transferência, sendo encaminhados ao setor da vítima. Ao encontrarem o funcionário, iniciaram as agressões que culminaram na morte de forma brutal. Os suspeitos fugiram em seguida”, relatou no texto.

Ainda no documento, a corporação afirmou que as buscas pelos autores do crime foram iniciadas por equipes do Grupamento Tático de Apoio Itinerante (Gati) e do 19º Batalhão da Polícia Militar e disse que “trabalha com todas as linhas de investigação e não cessará até alcançar os autores”. O delegado Elder Bezerra, da Força-Tarefa da Capital, investiga o caso.

Relacionado

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *